porno sex izle

ESCOLA DE IMAGEM - Cursos e workshops de fotografia em BH e no RJ

ESCOLA DE IMAGEM, a maior escola de fotografia da América Latina. Curso Completo, workshops de fotografia, iluminação e estudio no Rio de Janeiro

instagram takipçi hilesi Eryaman Escort hdfilmcehennemi türbanlı porno izle hd film cehennemi hdfilmekani yerli film izle film seyret
  • Pantanal, na linha-d'agua

    13.03.2015 - Autor: Marketing

    O novo livro fotográfico da NATIONAL GEOGRAPHIC BRASIL sobre o Pantanal, possui imagens de Luciano Candisani e textos de José Eduardo Camargo. O livro será lançado em março, com o título: Pantanal, na linha d’água. A ideia desse nome curioso partiu do designer da revista, Roberto Sakai, após uma silenciosa imersão dele nas imagens produzidas ao longo de um ano para esse trabalho.

    Sakai notou a água como o fio condutor da narrativa visual que se estende ao longo das mais de 300 páginas do livro, desenhadas pela diretora de arte Cristina Veit. “Vejo a água, de alguma forma, até nas imagens secas”, argumentou.

    É isso mesmo. Nesse ensaio, desde o início, Luciano privilegiou composições e luzes capazes de evocar a importância do ciclo da chuvas para a vida no Pantanal. Ele acredita que nesse sobe e desce das águas reside a essência e a beleza desse ambiente singular. E realmente ele passou a maior parte do seu tempo de produção imerso em águas rasas e turvas, em ambientes pouco frequentados pelas câmeras em geral. Foi dessa linha de encontro entre rios e suas margens mutáveis, a linha d’água, que brotou sua interpretação da grande planície.

     

    Luciano Candisani

    Fotógrafo dedicado à conservação e documentação da biodiversidade e de populações tradicionais nos grandes espaços naturais da América do Sul há 17 anos. Trabalha para National Geographic Brasil desde 2000 e passou a fotografar também para a edição mundial da revista. Recebeu cinco prêmios Abril de Jornalismo, o Wildlife Photographer of the Year de 2012 e o segundo lugar no Festival Mondial d’Limage Sous Marine, na França, em 2012. É autor de sete livros e, em 2007, foi nomeado membro permanente da ILCP – International League of Conservation Photographers

  • 'ZooBorns': fotografia de filhotes nascidos em zoológico

    13.03.2015 - Autor: Marketing

    Um livro de fotografia extremamente fofo vem fazendo sucesso dentro e fora da web. É o “ZooBorns: The Next Generation”, que mostra imagens de lindos e exóticos animais nascidos em zoológicos e aquários do mundo todo. A publicação é de autoria do site “ZooBorns”, desenvolvido e alimentado pelo retratista Chris Eastland, pelo especialista em vida animal Andrew e pela escritora e reabilitadora de animais na vida selvagem Rochelle.

    O objetivo do projeto é educar sobre a necessidade de preservação dos animais de forma divertida. De acordo com os responsáveis pelo site, 10% das vendas do livro serão destinadas ao “Conservation Endowment Fund”, entidade fundada em 1984 que reúne zoológicos e aquários de diversos países, lutando contra a extinção de várias espécies.

     

    Mesmo que os visitantes do site sejam engajados na causa animal, não há como negar que o principal atrativo é a fofura dos bichinhos. Olhinhos lacrimejantes, brincadeiras de briguinha, passos vacilantes e outros tantos gracejos típicos dos filhotes chamam muito a atenção dos humanos. Tanto é que, de acordo com pesquisa realizada na América do Norte, somente zoos e aquários credenciados recebem mais de 175 milhões de visitantes anualmente – o número é maior que o público anual da NBA, NFL (liga de futebol), NHL (liga de hockey) e MLB (liga de basebol) juntos. Portanto, não se sinta envergonhado de ceder a tanta meiguice. Você está muito bem acompanhado.

     

    (via TechTudo)

  • O dia vira noite!

    13.03.2015 - Autor: Marketing

    No tutorial de hoje o professor Patrick Bonnereau vai nos conduzir a como transformar um dia em noite. Quem já tiver tentado isso em casa saberá que esse processo não é tão simples quanto “escurecer” a imagem usando algumas das diversas ferramentas que o Photoshop oferece.

    O que difere a noite do dia não é simplesmente a quantidade de luz, mas ONDE ela está e como ela se comporta.

    A foto que queremos “anoitecer” é um prédio que está muito perto da rua e em uma região arborizada, ou seja, não há recuo para fotografá-lo.

    Vamos então montar várias fotos feitas de um mesmo ponto de modo a simular uma super grande angular. Para isso utilizaremos o PHOTOMERGE, que fica
    em FILE>>AUTOMATE>>PHOTOMERGE. Também podemos utilizar o Bridge, localizar e selecionar todas as fotos que desejamos juntar e, em seguida, usar
    o comando TOOLS>>PHOTOSHOP>>PHOTOMERGE, que abrirá o Photoshop automaticamente e aplicará o algoritmo.

    Depois de uns ajustes usando o FREE TRANSFORM (edit>>free transform) a montagem fica assim:

    Com a deformação necessária para gerar a emenda, partes da imagem ficam indisponíveis. Vamos refazer o asfalto utilizando uma textura da internet.

    A copa da árvore no canto superior esquerdo também incomoda, e vamos retirá-la substituindo aquela parte da torre por uma outra foto tirada de outro lugar. O Photomerge foi desenhado para juntar fotos tiradas de um mesmo ponto. Neste caso, por se tratar de uma foto tirada de outro lugar, teremos que montar as partes manualmente.
    Também aproveitamos para colocar um novo Céu.

    Em seguida, experimentamos o Céu noturno.

    Nesta primeira etapa de “anoitecimento”, escureceremos aquilo que é escuro na foto original, para deixarmos a foto mais dramática e contrastada. Mas o segredo está em deixar que a transição para o efeito seja “macia”. Para fazer isso, além de desenhar uma máscara que tem as características do negativo da própria foto, vamos também usar o DESFOQUE GAUSSIANO na máscara para “embassar” as bordas.

    A ferramenta EXPOSURE (imagem>>adjustments>>exposure) dará conta de um escurecimento eficiente, e o mapa de aplicação desse escurecimento será
    parecido com essa imagem:

    Nesse momento, estamos procurando reverter um processo típico da luz solar durante o dia. Sim, não é redundância, é “luz solar durante o dia”, por que,
    como sabemos, a Lua não tem luz própria, e sua luz é aquela refletida pelo Sol. Porém, como a intensidade da luz direta é bem menor refletida pela lua do que
    direto do Sol, as penumbras formadas pelas dispersões e reflexões da luz ficam mais perceptíveis relativamente. Assim, aquelas sombras pretas e com bordas
    definidas devem ser retiradas com cuidado, e faremos isso retirando o efeito de escurecer nas regiões que ficarem pretas demais.

     

    É importante observar que os prédios vizinhos foram praticamente anulados com um escurecimento mais severo. Assim diminuímos a quantidade de
    informação a disputar a atenção de quem olha a foto. Na segunda rodada de escurecimento, determinamos onde há luz simplesmente não escurecendo determinadas áreas. É aqui que forjamos o efeito de determinar onde estão as fontes de luz e onde vão estar as sombras.

     

    É chegada a hora de cuidar de detalhes que farão toda a diferença. A luz do poste, por exemplo. Precisamos ter o cuidado de observar que o vidro da janela e a
    madeira da janela respondem de maneira diferente à luz da lâmpada. Enquanto a madeira reflete a lâmpada de maneira difusa, o vidro concentra o reflexo quase a ponto de sermos capazes de ver a forma da fonte de luz, o que caracteriza uma reflexão especular.

    Outro detalhe importante sobre escurecimento é a saturação. Nossos olhos são equipados com dois sistemas distintos de percepção de luz. Um deles, o mais
    sensível à luz, é cego às cores. Por isso dizem que “à noite todos os gatos são pardos”. Devemos evitar cores muito puras quando pretendermos simular a noite.

    Passada essa fase de escurecimento e equalização, vamos ao acabamento, que consiste em escolher elementos de cor, luminosidade ou texturização que
    pertençam a toda a foto. Isso ajuda o olho humano a acreditar na identidade espacial de todos os elementos que foram colocados juntos em uma montagem.

     

  • Você que gosta de fotografia não pode perder hoje o Programa do Jô

    13.03.2015 - Autor: Marketing

    Você que gosta de fotografia não pode perder hoje o Programa do Jô.Um dos convidados do programa será o fotógrafo Luiz Garrido, que está lançando pela iPhoto Editora, o livro Retratos – Técnica, Direção e Composição. No livro, Garrido, um dos maiores especialistas em retratos do Brasil, apresenta seus segredos, técnicas e truques para fazer retratos de personoagens e de beleza, conhecimento desenvolvido após anos de trabalho para revistas como Vogue, Elle, Playboy, entre outras.


    programadojo

    Fonte: iPhoto Editora

  • Noite de autógrafos em BH: lançamento do livro O Guia da Fotografia de Casamento

    13.03.2015 - Autor: Marketing

    Banner_Final_750

porno sex izle

porno sex izle

porno sex izle