A névoa mágica de Chicago

31.July.2014
autor marketing

Salisbury_Fog_03

O determinado fotógrafo de Chicago, Michael Salisbury possuía o desejo de desacelerar por um momento e capturar o mundo ao seu redor de uma forma vívida. Após tempestades severas,ele teve a oportunidade de combinar seu amor pela arquitetura com a névoa surreal que cobriu o céu da cidade como um cobertor. A série é intitulada de June Fog (névoa de Junho) e o resultado é surpreendente.

Abaixo estão algumas imagens de Salisbury. Aproveite:

Salisbury_Fog_01

Salisbury_Fog_02

Salisbury_Fog_04

Salisbury_Fog_05

Salisbury_Fog_06

Salisbury_Fog_07

Salisbury_Fog_08

Salisbury_Fog_09

Se você quiser acompanhar o trabalho do fotógrafo, veja o seu Flickr.

(Via Peta Pixel)


 
A névoa mágica de Chicago

Seria esse o melhor “photobomb” de todos?

30.July.2014
autor marketing

Na maioria das vezes, retratos da família real podem ser descrito como “estóico” (fotografias duras e NADA inovadoras). Mas a fotografia recente em que a Majestade, Rainha Elizabeth II apareceu não é em nada “estóica”.

A rainha estava andando “por aí” nos Jogos da Commonwealth (É uma organização intergovernamental composta por 53 países membros independentes. Todos as nações membros da organização, com exceção de Moçambique e Ruanda, faziam parte do Império Britânico, do qual se desenvolveram), quando viu as meninas Jayde Taylor e Brookie Peris da equipe de hóquei australiano estavam fazendo uma selfie. Ao invés de estoicamente sair do quadro, Sua Majestade decidiu mostrar o seu lado mais leve e photobombed:

Captura de Tela 2014-07-30 às 15.17.33
Sabemos que a “onda selfie” não é muito apoiada por muitos, mas depois de um jogo após o desastre na Malasia, onde ambos times jogaram com braçadeiras pretas em honra daqueles que perderam suas vidas – o momento alegre com sua Majestade foi capaz de colocar um pequeno sorriso em seus rostos.


 
Seria esse o melhor “photobomb” de todos?

As 10 regras na fotografia de viagens

29.July.2014
autor marketing

As dicas abaixo são uma tradução de uma artigo da fotógrafa Ami Vitale que fotografa suas viagens e captura as diferenças culturais. Ela tem trabalhos publicados em diversas revistas internacionais como a National Geographic, Aventura, Geo, Newsweek e Time. Acompanhe o trabalho de Ami nas suas redes sociais: Instagram, Twitter e Facebook.

ami_8

“Chegar perto e ficar íntimo de pessoas requer tempo e compreensão. Construir relacionamentos é o aspecto mais importante do que fazemos. Esta é uma imagem de uma mãe que está sendo consolada por sua família no funeral de sua filha, na Caxemira, na Índia. Passei quatro anos documentando essa cultura, porque levei tempo e construí relações. Fui convidada para a vida das pessoas e fui capaz de revelar os momentos, por vezes, difíceis, mas sempre íntimos.
A fotografia não é sobre a câmera. Não é nem mesmo sobre as belas imagens que criamos. Trata-se de contar histórias poderosas. A fotografia é uma ferramenta para criar consciência e compreensão entre culturas, comunidades e países; Uma ferramenta para dar sentido às nossas semelhanças no mundo que partilhamos. Eu acredito que a forma de encontrar um terreno comum é de ver-se em outros.
Muito do meu trabalho envolve viajar para países estrangeiros e lugares remotos. Meu trabalho é tornar me invisível e me aproximar das pessoas e dos animais selvagens, para que eu possa trazer suas histórias a tona. Não é mais diferente no meu estado de Montana do que é estar em um país com 10 mil milhas de distância. Para mim, os momentos íntimos sempre importam mais.
A fotografia tem sido o meu passaporte para conhecer pessoas, aprender e experimentar novas culturas. Eu quero falar aqui sobre os métodos e as sensibilidades que eu uso para trazer poderosas imagens, capazes de contar histórias. Aqui estão as dez regras que levo para a minha fotografia.

1. Investigação
ami_1
Leia tudo o que puder sobre o lugar que você vai visitar, especialmente os jornais locais e a mídia social. Histórias locais que podem não alcançar os grandes jornais internacionais darão pistas sobre o que está realmente acontecendo no lugar. Estabeleça relações antes mesmo de entrar no avião. Faça amizade com outros fotógrafos e fontes. Nada é tão valioso quanto um outro fotógrafo que já foi lá. Eu gosto de usar a mídia social para conhecer pessoas, ou por meio de sites como o lightstalkers.org, onde há um fórum para ligar e fazer perguntas.
No caso da imagem acima, a história era sobre a China liberando o primeiro panda gigante na natureza. Com um planejamento cuidadoso, nos foi dado acesso para criar uma história poderosa que mostrou a relação da humanidade com o Panda Gigante. Com um pouco de planejamento, eu adquiri uma imagem mais original.

2. Vá fundo

Eu não vejo a fotografia de viagem como apenas uma aventura. Apesar de testemunhar coisas extraordinárias, não é simplesmente sobre lugares exóticos. A magia começa realmente quando você está em um lugar e tem tempo suficiente de obter conhecimento e entendimento. É uma jornada que exige tremenda persistência e paciência, mas prefiro passar mais tempo em um lugar do que tentar ver tudo em pouco tempo. Uma maneira de obter além de imagens superficiais é planejar uma viagem para um local, várias vezes, se você puder. Abaixo estão duas histórias sobre como eu tive acesso e fui mais fundo em uma história.

ami_2

Eu passei alguns dias com Subita e sua família. Em nenhum momento nós estávamos sozinhos; Em torno de nós centenas de câmeras digitais estavam disparando a distância. Antes de amanhecer, reunidos em torno de um fogo, pelo menos uma meia dúzia de pessoas estavam olhando para ela somente através de sua lente. A única vez que algum deles me reconheceu foi para fazer uma pergunta técnica, como qual ISO seria melhor trabalhar à luz.

Mais tarde, Subita me disse como é desumanizante o impacto dos turistas ávidos e suas câmeras sobre ela. Eles fizeram com que se sentisse como um animal – assim ela expressou. Ninguém disse “Namastê”, ou “Olá”, para ela. Aqueles que a cercavam eram apenas uma coisa: o que eles consideravam uma grande tacada, era uma caça e ela era simplesmente o prêmio.

Se algumas das pessoas que cercaram Subita tivessem tido tempo de passar algumas horas com ela, aprendendo um pouco mais sobre a vida, eles teriam tido uma história e não apenas uma imagem.
3. Seja autêntico e sensível

A maneira mais fácil de fazer fotografias atraentes e reais das pessoas é sendo autêntico. Fazer imagens espontâneas de pessoas não é um truque. É uma habilidade que qualquer fotógrafo pode desenvolver. O que se exige é respeitar o assunto e construir um relacionamento no tempo que se tem junto. Fotos de sucesso quase nunca acontecem à distância. Arrume sua objetiva e tornar-se parte do momento.

Converse com as pessoas. Quer se trate de um simples aceno de reconhecimento, uma saudação, uma explicação do que você está fazendo, ou uma conversa longa envolvidos. Se conecte com as pessoas que você está fotografando. Lembre-se, temos mais em comum uns com os outros do que você imagina. Não olhe para as pessoas como diferentes ou exóticas. Em vez disso, concentre-se nas coisas que as unem.
As crianças são um dos temas mais universais que nos unem. Este é um grupo de crianças que foram deslocadas pelo conflito no estado de Gujarat, em Ahmedabad, na Índia.

ami_3
4. Conheça o seu equipamento

Se você transpirar apreensão ou tensão, as pessoas se apegarão a isso e não vão relaxar com o elemento adicional de uma câmera. Conheça o seu equipamento de modo que você possa se concentrar nos fotografados. Sua confiança em si mesmo irá incutir confiança neles. Para mim, a simplicidade é a chave para o sucesso. Eu nunca uso novos equipamentos em uma viagem, é sempre testado em casa primeiro, e levo backups na viagem real. Simples é sempre melhor. Não há problema em usar a tecnologia mais recente, mas saber como usá-la antes de começar a sua viagem é primordial.
Uso o equipamento da Nikon a muitos anos. E testo minhas câmeras e lentes completamente, assim que as pego. Eu preciso estar confortável com ele de forma que poderia operá-lo até no escuro. Esta imagem dos lutadores tinha uma iluminação bonita, mas extremamente complicada. Eu tive que ajustar minhas configurações rapidamente para capturar esta imagem com sucesso antes que a luz fosse embora.

ami_4

5. Mantenha notas

Você acha que vai se lembrar de todos que encontrar, mas com o tempo e a idade algumas coisas desaparecerem da memória. No passado, eu costumava anotar os nomes das pessoas e uma breve descrição do que eles estavam usando, ou alguma característica distintiva sobre eles. Gostaria de voltar para casa, começar a olhar através de minhas anotações e descobrir quem são as meninas que eu estava fotografando de vestidos rosa, que apesar de parecidas tem suas diferenças. Agora eu carrego meu celular, com um aplicativo chamado EZ Release, o que me permite tirar fotos e obter o seu consentimento, ao mesmo tempo. Eu também tenho o hábito de escrever legendas e rotular imagens logo após uma viagem, sem procrastinar.
Use o telefone para tomar notas e fazer releases.

ami_5

6. Vista-se adequadamente

Enquadre-se na cena, ser discreto é sempre melhor. Mais uma vez, a sensibilidade para os costumes e as normas de onde você está acelera um longo caminho para ser aceito. Uma fotógrafa mulher pode querer usar um lenço para cobrir a cabeça em algumas culturas. É uma das formas mais visíveis de se mostrar respeito pelas sensibilidades locais. Eu também evito a aparência estereotipada do “ser” fotógrafo (roupas pretas ou coletes com muitos bolsos).

ami_6
Quando o primeiro panda fêmea estava sendo soltos na natureza, eu me vestia-se como uma árvore, para não assustá-la. O diretor do programa ficou tocado. Ele veio correndo até mim e me abraçou. As portas se abriram e temos excelentes imagens para o resto da história, muito mais fortes por causa disso.

ami_7
Mais tarde, todos nós vestidos como pandas para que pudéssemos chegar por trás das cenas de acesso ao centro de treinamento panda onde treinam os pandas nascidos em cativeiro para voltar para a vida selvagem.

7. Conheça os líderes

Se você está em uma favela ou uma cidade, há sempre uma hierarquia. Se você tomar o tempo para explicar por que você está lá e conseguir as bênçãos dos líderes ou anciãos em qualquer comunidade, vai estar mais seguro do que se ficar vagando sem rumo. Como mulher, eu também levo um tempo atendendo as mulheres líderes de uma comunidade.

Uma noite, depois de fotografar manifestantes, um grupo de jovens malfeitores decidiu que eles queriam me usar como exemplo para mostrar a sua raiva contra a política dos EUA. Eu tinha passado o dia com as mulheres líderes da aldeia, e elas vieram em meu socorro quando viram a cena da multidão se desenvolvendoo em torno de mim. Depois disso, eu sempre passo o primeiro dia de uma viagem encontrando os líderes locais onde quer que seja. Eu estou sempre espantada com a rapidez que a notícia de meu projeto se espalha em uma comunidade. Todo mundo sabe por que eu estou lá e abrem as portas.

8. Confie em seus instintos

Eu confio na bondade de estranhos em todos os lugares que eu vou. É real, e a maioria das pessoas é amável e gentil. Temos um mundo também maravilhoso, mas lembre-se de manter a guarda, pois infelizmente nuvens negras podem se formar e as tensões podem escalar. Confie em seus instintos e não assuma nunca, ou seja embalado em uma falsa sensação de segurança. Mesmo se sentir-se seguro, não baixe a guarda. Eu descobri que o estabelecimento de relações com antecedência é a melhor maneira de se preparar.

ami_9

Assim como este homem construiu a confiança com o camelo, você precisa confiar e trabalhar sobre a relação do outro lado da lente.

9. Devolva

Seus “temas” estão se entregando a você, portanto não abuse da bondade deles. Não os trate como modelos. Envie de volta algumas impressões, valorize o momento, e trate-os bem. Não prometa se você não pretende entregar. Nesta época em que muitas pessoas estão digitalmente conectadas, se tornou mais fácil do que nunca enviar um e-mail com imagens.

ami_10

Se você trouxer de volta impressões ou simplesmente passar o tempo conversando com as pessoas, é importante para tornar a fotografia não apenas sobre a tomada de imagens. Este é Subita e sua irmã como eu estou ensinando-os a usar a minha câmera.

10. Divirta-se

Sim, consegui a imagem é importante, mas ser grato pela oportunidade é ainda mais. Belisque-se e aproveite os momentos. Com diversão você relaxa todo mundo e as imagens e histórias são melhores.
Literalmente mergulhar onde você estiver. Encontre maneiras de se conectar com as pessoas. Isto é, em Madagascar, e eu estou apenas me divertindo.

ami_11

Se houver apenas uma coisa que você possa tirar isso, eu espero que seja o entendimento de que todos nós, não são apenas os fotógrafos, mas nós somos contadores de histórias. Há uma bela verdade universal em todos os lugares e, se você espiar sob o véu, você vai encontrar uma semelhança extraordinária entre nós. Espero que em suas viagens, você use sua câmera não apenas como uma extensão do seu olho, mas também como uma extensão do seu coração.”

Este artigo apareceu aqui, e é parte da série de Fotos de Viagens da B&H, que você pode ver aqui.

(Via Peta Pixel)


 
As 10 regras na fotografia de viagens

Fotógrafa traduz seus e-mails de spam em retratos dos remetentes imaginários

29.July.2014
autor marketing

Sandrine-Nzi-4
O que você faz quando você recebe e-mails do tipo spam com “pessoas imaginárias” que tentam tirar seu suado dinheiro? Se o e-mail teve a sorte de passar pelo filtro de spam, não terá a mesma sorte e será imediatamente reconhecido e eliminado pelo destinatário.

Na caixa de entrada da fotógrafa Christina De Middel, no entanto, eles se transformaram em fotografias. Para seu projeto Poly-Spam, a fotógrafa observou atentamente os detalhes e “recriou” retratos fictícios dos remetentes imaginários.

O retrato acima é da imaginária “Sandrine nzi”, que “enviou” o seguinte e-mail:

“Olá querida,
Meu nome é Sandrine nzi. Vou fazer 25 anos de idade amanhã e sou filha única do falecido Sr. Joseph nzi. Meu pai era um mineiro de grande reputação na Costa do Marfim. É triste dizer que ele faleceu misteriosamente durante uma de suas viagens de negócios e suspeita-se que ele foi concebido pelo meu tio, que viajou para lá com ele. Mas Deus sabe a verdade! Minha mãe morreu quando eu ainda era uma menina e, desde então, o meu pai estava ao meu lado. Antes de sua morte, o orador pediu ao secretário que o acompanhou até o hospital e disse-me que ele havia deixado em um dos principais Bancos o valor de 10.500 mil dólares americanos, em Abidjan, na Costa do Marfim. Ele também disse a ele que o dinheiro foi depositado em meu nome. Tenho apenas 20 anos e sou estudante na Universidade e realmente não sei o que fazer. Agora eu quero uma conta no exterior, para onde transferir esse dinheiro. Como resultado da crise política contínua aqui na Costa do Marfim e dos problemas familiares que me fez fugir da casa de meu falecido pai e me esconder em um hotel local para a segurança da minha vida do lado mal do meu tio que matou meu pai e alguns outros membros da minha family. Querida, estou com um sincero desejo de sua ajuda urgente a este respeito. Suas sugestões e ideias serão muito necessárias, por favor, permita-me dizer a você o que eu quero que você faça para mim. 1. Você vai me ajudar a negociar um investimento lucrativo e legal para o dinheiro, como você sabe que eu sou apenas uma menina e não tenho conhecimento de investimento. 2. Você vai me ajudar a garantir uma permissão de residência permanente no seu país, para que eu vá continuar minha educação, ao passo que você vai ter cuidado com o investimento que será criado por você.
Obrigada pela sua atenção, Sandrine nzi”

Aqui estão o resto dos e-mails e imagens (respectivamente) na série:

Alesia-Atolevna-2

Alesia Atolevna Markina – “Vítima do Tsunamy na Tailândia e beneficiária de uma fortuna de US $ 4.500.000″

David-Kodjo-2

Mr David Kodjo

Grace-Smith-2

Grace Smith

Lateef-Fagbemi-2

Barrister Fagbemi Lateef

Marisol-2

Marisol

Ronald-Garrick-2

Sir Garrick Ronald

susan-2

Susan Morrison


 
Fotógrafa traduz seus e-mails de spam em retratos dos remetentes imaginários

Anúncios que vão fazer você repensar seus hábitos

28.July.2014
autor marketing

Cada vez mais anúncios relacionados ao meio ambiente e aos animais se destacam na publicidade. Com uma linguagem que aborda questões globais, que não são fáceis de resolver, as propagandas sugerem que mudemos nossos hábitos negativos, refletindo para uma mudança de comportamento positiva. Nestes anúncios, o foco gira em torno de conscientizar a humanidade quanto ao aquecimento global, animais de rua e o cruel abuso de animais para entretenimento, comida, roupas e cosméticos.

As fotografias aliadas ou não a manipulação e tratamentos, são poderosas e têm como objetivo principal reeducar as pessoas para que possamos fazer do planeta Terra um lugar melhor para todos. Veja!

anuncio-animal

anuncio-animal-2

 

anuncio-animal-10 anuncio-animal-11  anuncio-animal-12 anuncio-animal-5

anuncio-animal-14

anuncio-animal-19

anuncio-animal-20

anuncio-animal-21

anuncio-animal-22

anuncio-animal-3

anuncio-animal-13

anuncio-animal-23

anuncio-animal-30

anuncio-animal-31

anuncio-animal-32

anuncio-animal-33

anuncio-animal-35

anuncio-animal-4

anuncio-animal-15

anuncio-animal-24

anuncio-animal-34

anuncio-animal-39

anuncio-animal-40

anuncio-animal-41

anuncio-animal-42

anuncio-animal-43

anuncio-animal-44

anuncio-animal-6

anuncio-animal-16

anuncio-animal-25

anuncio-animal-36

anuncio-animal-45

anuncio-animal-48

anuncio-animal-49

anuncio-animal-51

anuncio-animal-52

anuncio-animal-53

anuncio-animal-7

anuncio-animal-54

anuncio-animal-8

anuncio-animal-17 anuncio-animal-26

 

anuncio-animal-37

anuncio-animal-46

anuncio-animal-55

anuncio-animal-50

anuncio-animal-9

anuncio-animal-18

anuncio-animal-28

anuncio-animal-38

anuncio-animal-47

(Via Hypeness)


 
Anúncios que vão fazer você repensar seus hábitos